Celebridades

‘Mentira absurda’, Bonner fica indignado com fake news divulgada por Jair Bolsonaro

Presidente não tem mais foro privilegiado após deixar cargo. Bolsonaro segue de férias em resort luxuoso.

William Bonner não escondeu seu descontentamento ao noticiar sobre a conclusão do inquérito da Política Federal (PF), que investigou o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), por divulgar notícias falsas durante o auge da pandemia da Covid-19.

Na noite desta quarta-feira (28), durante o Jornal Nacional, Bonner chegou a categorizar as informações falsas divulgadas por Bolsonaro como mentiras absurdas.

A notícia foi transmitida por meio de nota, sendo assim, não houve um auxílio de imagens no momento. Bonner destacou que, no relatório final, a PF afirma que Bolsonaro teria estimulado pessoas a não usarem máscara de proteção contra a Covid-19. Além disso, também é destacado que, por meio de uma transmissão nas redes sociais, o mandatário teria associado a vacina contra o coronavírus falsamente ao risco de contrair AIDS. “Uma mentira absurda”, opinou o jornalista.

Bolsonaro atentou contra a paz pública

Renata Vasconcellos deu continuidade à noticia, dizendo que o mandatário gerou um potencial de causar um alarme, além de ter atentado contra a paz pública. A âncora do JN completou dizendo que o crime de incitação ao crime é previsto em lei e pode resultar em pena de três a seis meses de prisão. “E o delito de contravenção prevê o pagamento de multa”, terminou.

Bolsonaro é intimado a marcar depoimento

Jair Bolsonaro chegou a ser intimado a marcar depoimento pela PF, contudo, como não houve resposta, foi entendido que ele fez valer o seu direito de permanecer em silêncio. Agora, cabe ao Ministério Público (MP) decidir se irá oferecer denúncia contra o político, vai pedir o aprofundamento das investigações ou se irá arquivar o caso.