Celebridades

Morre aos 49 anos uma das maiores cantoras e compositoras do Brasil; amigos e fãs lamentam perda

A cantora não resistiu a um quadro de fibrose pulmonar que vinha lhe acometendo há um tempo. Ela ficou internada na UTI nos últimos dias em um hospital particular.

Na noite desta última terça-feira, 03 de janeiro, uma notícia abalou a internet e fez milhares de pessoas lamentar a perda. Rita de Cássia é uma das maiores cantoras e compositoras de forró aos 49 anos. Sua partida deixa parte da música brasileira com um ‘buraco’. A artista era uma das maiores compositoras de forró do país.

Rita de Cássia morreu em Fortaleza. Ela era conhecida nacionalmente por grandes sucessos da banda Mastruz com Leite, como “Meu Vaqueiro, Meu Peão” e “Saga De Um Vaqueiro”. A cantora não resistiu a um quadro de fibrose pulmonar que vinha lhe acometendo há um tempo. Ela ficou internada na UTI nos últimos dias em um hospital particular.

“Rita de Cássia, minha conterrânea e amiga, sua partida partiu nossos corações. Siga encantando os anjos com seu forró que tanto cantou o amor,” diz Bráulio Bessa, amigo pessoal de Rita.

Por conta da grave doença, sua última publicação feita no Instagram foi durante a festa de fim de ano, ela desejou um feliz ano novo aos mais de 170 mil seguidores que a acompanhavam. Em outros vídeos mais recentes dela na plataforma, é possível notar que a compositora se expressa com certa dificuldade de respirar, sempre optando por sentenças curtas e recados bem rápidos aos fãs.

A condição da cantora em passar por episódios de falta de ar é consequência da fibrose pulmonar, marcada por cicatrizes ou pelo enrijecimento do órgão, reduzindo a capacidade de expansão do pulmão para inflar de ar.

Passagem de Rita pela música

Rita tinha mais de 500 músicas escritas, sua primeira composição gravada foi no ano de 1992, com a música ‘Brilho da Lua’, que ficou conhecida na voz de Eliane.

“O ano era 1991, a mocinha tímida que foi até a minha casa na Messejana me apresentar umas composições. Ritinha passou a tarde na minha casa com o seu violão apresentando seus sucessos para mim e meu amado pai Zé Lima. Ela me apresentou ‘Brilho da Lua’, ‘Meu Nego’, ‘Meu Vaqueiro, Meu Peão’ e ‘Sonho Real’. Escolhi ‘Meu Nego’ e ‘Brilho da Lua’. De 91 em diante, todo álbum tinha que ter clássicos dessa estrela que se tornavam carro-chefe dos álbuns”, escreveu Eliane em homenagem.