Curiosidades

Como velar seu cachorro de forma correta?

Uma dúvida bastante comum nesses momentos é sobre o que fazer quando o cachorro morre.

Assim como ocorre com os humanos, a coisa mais difícil diante a morte de um cachorro é superação da perda e a saudade. Nesse sentido, cada pessoa enfrentará a perda de seu cão como bem entender. Seja como for, é uma lei natural e os cães geralmente morrem antes de seus donos, por sua longevidade ser muito menor, onde mais cedo ou mais tarde teremos que passar por essa provação.

Dito isso, a influencer Gabriela Sales, conhecida como Rica de Marré, passou recentemente por essa perda. Ela usou suas redes sociais para anunciar a morte do seu pet, chamado Luige. O cachorro era bastante famoso entre os seguidores da influencer. Ele viveu 12 anos com a tutora, seu marido, Abrão Meron e seu filho, Danilo Meron.

Uma dúvida bastante comum nesses momentos é sobre o que fazer quando o cachorro morre, portanto, é válido ressaltar que normalmente, quando um cachorro morre em uma clínica veterinária, os profissionais podem repassar essa orientação sobre as diferentes opções que temos de velar o animal. Porém, essa é uma circunstâncias quem em diferentes casos não está sempre disposta.

Enterro

Se a morte do cão for de causas naturais ou trauma, é possível enterrá-lo desde que a operação seja realizada em local adequado como num “cemitério de animais”, por exemplo.

Em casos onde o cachorro tiver falecido por doença infecciosa perigosa para humanos ou outros animais, é preciso notificar imediatamente ao Serviço de Vigilância em Saúde de sua cidade para proceder ao sepultamento em área especial ou cremação por profissional especializado na área.

O artigo 54 da Lei Ambiental da Constituição Federal proíbe o enterro de animais no próprio quintal ou em solo comum, por questões sanitárias de prevenção à contaminação do solo. O crime prevê pena de quatro anos de prisão e multa, que pode variar de R$500 a R$13 mil. Desse modo, é preciso ser responsável na hora de enterrar o corpo do seu animal.

Cremação

Existem muitas pessoas que preferem optar por guardar as cinzas do animal de estimação e por isso se tem a possibilidade da cremação individual. Atualmente, há um número significativo de empresas que oferecem este serviço no Brasil. A incineração, que pode durar até três horas, custa entre R$ 600 e R$ 3 mil.

Algumas dessas empresas também oferecem um serviço funerário, montando salas para se despedir do animal antes de prosseguir com o processo de cremação.

E como lidar com a morte do cão?

A maioria considera o cão como um membro da família, por isso, é muito difícil superar a perda do animalzinho. Desse modo, cada pessoa lidará sua dor de uma forma diferente. No entanto, há casos em que não há escolha a não ser pedir ajuda para superar o trauma.

Há quem opte por doar os pertences do animal, adotar outro cão ou prestar-lhe homenagem. O objetivo é fazer com que você não fique obcecado com a morte do cachorro e supere. Antes de tudo, lembre-se de contar com o amor da família, amigos ou especialistas para lidar com o momento. Além disso, é importante que você passe pelo processo de luto e se concentre nos bons momentos que você teve com seu animal de estimação.