Saúde e bem-estar

Farofa da Gkay: competição de quem beija mais traz riscos à saúde

Influenciadora anunciou prêmio para quem beijar mais bocas. Entenda os riscos que os beijoqueiros da Farofa da Gkay estão correndo.

A ‘Farofa da Gkay’ começou ontem e tem previsão para durar três dias. Em maio, Gkay, influenciadora e idealizadora do evento, anunciou que haveria um “ranking de beijo” na festa, e tudo aponta para um prêmio em dinheiro: quem beijar mais bocas vai ganhar R$ 5 mil.

No entanto, os beijoqueiros e beijoqueiras correm riscos de saúde quando se expõem dessa maneira. Isso porque obeijo na boca pode transmitir muitas doenças, principalmente por conta da troca de saliva.

Dentre essas condições, há doenças virais e também bacterianas, então é bom ficar atento, alerta o neurologista do Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Wanderley Cerqueira de Lima. O médico aponta os principais problemas de saúde que podem atingir os beijoqueiros. Confira:

Doença do beijo pelo vírus Epstein-Barr

Essa é a doença mais comum transmitida pelo beijo. O vírus Epstein-Barr (EBV) é um patógeno causador da mononucleose infecciosa, ou “doença do beijo”. Porém, o que é mais preocupante é que esse vírus também pode ser um agente causador da Esclerose Múltipla (EM), doença inflamatória e autoimune que compromete o sistema nervoso central, explica o neurologista.

Segundo um estudo publicado na Revista britânica Nature, o EBV pode causar ainda: artrite reumatoide, artrite idiopática juvenil, doença inflamatória intestinal, doença celíaca, lupus e até diabetes tipo 1. De acordo com informações do Ministério da Saúde, pessoas entre 15 a 25 anos são os mais infectados pela doença, principalmente os moradores das grandes cidades, e no período do Carnaval e grandes shows e eventos, como a Farofa da Gkay.

Os principais sintomas da doença do beijo são fadiga, mal-estar, dor no corpo, febre, dor de garganta e caroços na região do pescoço. Em alguns casos, ainda se pode ter dores intensas nas articulações, além de dor na barriga e manchas pelo corpo. Entretanto,  esses sintomas são facilmente confundidos com outras doenças, como a gripe, por exemplo.

Herpes Labial

O vírus HSV-1 é o causador da herpes labial. A doença pode causar dor, coceira e feridas na boca, tanto do lado interno como externo. Além disso, é altamente transmissível pelo beijo na boca, aponta o médico.

Candidíase oral (sapinho)

A candidíase oral, ou “sapinho”, é causada pelo fungo Candida albicans. O resultado é o  aparecimento de lesões brancas na língua ou na parte interna das bochechas.

Sífilis

Apesar de ser uma infecção sexualmente transmissível (IST) bastante conhecida, a saliva também é uma forma de transmissão da sífilis. Ela é causada pela bactéria Treponema pallidum e, inicialmente, provoca pequenas lesões na boca ou na região genital. “Se o paciente não receber o tratamento correto, a condição pode evoluir para uma doença crônica, levando a lesões cerebrais, cardíacas e ósseas”, alerta o neurologista.

Influenza (gripes)

As gripes e os resfriados facilmente se transmitem pelo beijo. Entre os sintomas em comum estão dores no corpo e na garganta, mal-estar, nariz entupido, tosse e cansaço.

Caxumba

A caxumba é uma infecção causada pelo vírus Paramyxovirus e transmitida por gotículas de saliva. Os sintomas são inchaço e dor na região da mandíbula, febre alta, dores ao mastigar e engolir. Além disso, o indivíduo pode sentir dor de cabeça, fraqueza e perda do apetite. No caso dos homens, o vírus pode ainda causar inflamação na região dos testículos.

Catapora

A catapora está na lista de doenças que podem atingir os beijoqueiros da Farofa da Gkay. Ela é uma infecção pelo vírus varicela-zoster, e sua transmissão ocorre por gotículas e aerossóis eliminadas pela boca ou nariz, mas também pode ser transmitida pela troca de saliva. Os primeiros sintomas são pequenas bolhas na pele, que vão se espalhando pelo corpo e podem se agravar, até se tornarem feridas. Além disso, pode surgir dor no corpo, febre e cansaço.

HIV

É muito remota e rara a possibilidade de infecção do vírus HIV pela saliva durante o beijo, mas é possível acontecer. “Se a pessoa tiver lesões na boca, como aftas, feridas, dentes infeccionados e abertos, por exemplo, e a outra parte também tiver algo nesse sentido, as feridas podem facilitar a entrada do vírus e a infecção. A saliva tem pouca carga viral, mas é bom ter cuidado”, informa o Dr. Wanderley.

HPV

Assim como o HIV e a sífilis, é mais comum a transmissão durante o sexo e no sexo oral. No entanto, apesar de rara, é possível a transmissão do HPV pelo beijo, o que ocorre se uma das pessoas tiver lesão ou verruga por HPV na boca.

Meningite

A meningite é uma doença grave caracterizada pela inflamação das meninges, membranas que envolvem o sistema nervoso. “Essa doença pode ter diversas causas, como lesões, medicamentos, cânceres e infecções por bactérias, vírus e fungos. Como no momento do beijo ocorre a troca de saliva, esta pode conter organismos capazes de desencadear a doença, como a bactéria Neisseria meningitidis”, afirma o médico.